INCLUSÃO DIGITAL

TV Digital: Por audiência, TVs querem rever critério para migração em Brasília

Luís Osvaldo Grossmann ... 21/07/2016 ... Convergência Digital

No ano passado, em busca dos 93% de domicílios prontos para receber os sinais digitais na cidade de Rio Verde (GO), teles, tevês, governo e Anatel fizeram ajustes nos parâmetros da pesquisa que mede a preparação dos lares. Apesar da ginástica estatística, a primeira cidade do cronograma teve o desligamento adiado e acabou sofrendo o ‘apagão’ analógico dois meses depois do previsto ainda abaixo da meta: seriam 85% os lares aptos a receber os sinais digitais. 

Mas o acordo que valeu para a cidade goiana agora está sendo revisto. As emissoras de televisão temem adotar alguns dos mesmos critérios para o desligamento dos sinais analógicos em Brasília, previsto para 26 de outubro – a data original seria 4 de abril último. 

“Há uma proposta de se rever a decisão tomada para a pesquisa de Rio Verde, mas ainda não há uma posição efetiva. A radiodifusão pediu mais tempo para avaliar e fazer uma proposta”, explica o coordenador do grupo de implementação da digitalização, o conselheiro da Anatel Rodrigo Zerbone. A próxima reunião para discutir o assunto será em 2 de agosto. 

A preocupação das emissoras de televisão é com o critério pelo qual todas as residências que tenham aparelhos de TV de tela fina são contabilizadas como aptas a receber os sinais digitais. Trata-se de uma mudança adotada na pesquisa quando o percentual de lares supostamente preparados em Rio Verde ainda flutuava na casa dos 60%. 

Na época, a mudança foi autorizada pelo Gired com a chancela das emissoras de televisão. E o desligamento, como visto, se deu somente em 1º de março, sem que o almejado percentual de 93% tivesse sido atingido. Também aí as emissoras aceitaram proceder com o ‘apagão’ analógico fora da meta.  Ressalte-se que as emissoras até sustentaram, então, que as medidas adotadas em Rio Verde seriam extraordinárias, de forma a não estabelecerem um precedente para o resto do cronograma.

Mas também não custa lembrar que pesou na época a interpretação de que os custos para elevar ainda mais o percentual de lares preparados seria superior ao ganho. Não é exatamente uma surpresa, portanto, que as emissoras deem sinais de preocupação com a perda de audiência em uma praça muito mais relevante economicamente. 


Carreira
Teletrabalho: medo de perder emprego cria obrigação de ficar 100% online

Pesquisa do LinkedIn aponta que 68% dos brasileiros têm trabalhado de uma a quatro horas a mais por dia por conta de estarem em home office. Maior parte reclama de ansiedade e estresse. Maioria também reclama da ausência dos colegas de trabalho, mas 43% se sentem mais produtivos com o trabalho remoto.

França vai obrigar remoção de conteúdo de redes sociais em 1 hora

Lei impõe a rápida exclusão de conteúdos que envolvam pedofilia e terrorismo e dá até 24 horas para remoção do que for considerado “manifestamente ilícito”. 

No Brasil, 45,9 milhões de pessoas ainda não acessam a Internet

Dados foram apurados pela PNAD Contínua IBGE e mostra que boa parte alega não saber usar ou falta de interesse. São 14,9 milhões de domicílios sem acesso à internet no Brasil. Mulheres superam os homens no acessso à Internet./p>

Governo inicia segunda etapa de contratação de ISPs para área de saúde

Está aberta a segunda chamada para a conexão de Postos de Saúde de todo o país. A RNP informa que, nessa etapa, onde não existir disponibilidade de fibra ótica será considerada alternativa em enlace de radio de frequência licenciada ou livre e satélite.

Novo PL obriga banda larga sem ônus para secretarias de educação e alunos

Medida seria compulsória durante calamidades públicas ou pandemias, mas com possibilidade de que os custos sejam cobertos pelo Fistel. 

Viasat entra no mercado de banda larga residencial com satélite da Telebras

Empresa ampliou parceria com Visiontec, que tem a estatal do governo como sócia, para distribuição e instalação das VSats e promete conexões de até 25 Mbps em 100% do território nacional. 

O que somos e fazemos na Internet têm consequências fora da Rede

A Internet segura passa pela conscientização do usuário que não uma persona virtual e uma real, diz o especialista em Segurança da Informação do CAIS/RNP, Yuri Alexandro.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G