INCLUSÃO DIGITAL

TV Digital: Por audiência, TVs querem rever critério para migração em Brasília

Luís Osvaldo Grossmann ... 21/07/2016 ... Convergência Digital

No ano passado, em busca dos 93% de domicílios prontos para receber os sinais digitais na cidade de Rio Verde (GO), teles, tevês, governo e Anatel fizeram ajustes nos parâmetros da pesquisa que mede a preparação dos lares. Apesar da ginástica estatística, a primeira cidade do cronograma teve o desligamento adiado e acabou sofrendo o ‘apagão’ analógico dois meses depois do previsto ainda abaixo da meta: seriam 85% os lares aptos a receber os sinais digitais. 

Mas o acordo que valeu para a cidade goiana agora está sendo revisto. As emissoras de televisão temem adotar alguns dos mesmos critérios para o desligamento dos sinais analógicos em Brasília, previsto para 26 de outubro – a data original seria 4 de abril último. 

“Há uma proposta de se rever a decisão tomada para a pesquisa de Rio Verde, mas ainda não há uma posição efetiva. A radiodifusão pediu mais tempo para avaliar e fazer uma proposta”, explica o coordenador do grupo de implementação da digitalização, o conselheiro da Anatel Rodrigo Zerbone. A próxima reunião para discutir o assunto será em 2 de agosto. 

A preocupação das emissoras de televisão é com o critério pelo qual todas as residências que tenham aparelhos de TV de tela fina são contabilizadas como aptas a receber os sinais digitais. Trata-se de uma mudança adotada na pesquisa quando o percentual de lares supostamente preparados em Rio Verde ainda flutuava na casa dos 60%. 

Na época, a mudança foi autorizada pelo Gired com a chancela das emissoras de televisão. E o desligamento, como visto, se deu somente em 1º de março, sem que o almejado percentual de 93% tivesse sido atingido. Também aí as emissoras aceitaram proceder com o ‘apagão’ analógico fora da meta.  Ressalte-se que as emissoras até sustentaram, então, que as medidas adotadas em Rio Verde seriam extraordinárias, de forma a não estabelecerem um precedente para o resto do cronograma.

Mas também não custa lembrar que pesou na época a interpretação de que os custos para elevar ainda mais o percentual de lares preparados seria superior ao ganho. Não é exatamente uma surpresa, portanto, que as emissoras deem sinais de preocupação com a perda de audiência em uma praça muito mais relevante economicamente. 


Carreira
Marketplace móvel faz hackathon para área de pagamentos

Grupo Movile promove os desafios nas cidades de Recife e São Carlos (São Paulo) no mês de fevereiro.Selecionados vão receber diversos tipos de treinamentos online e terão auxílio dos mentores especiais, entre eles, Flavio Stecca, CTO do iFood.

TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Viasat: TCU controla viabilidade de acordo com Telebras

Segundo a vice presidente da empresa, Lisa Scapone, a demanda existe e pode ser medida pelo Gesac, mas operação comercial no Brasil depende dos ajustes no contrato para uso do satélite nacional.

PC fica cada vez mais distante da população mais pobre no Brasil

Dados do IBGE revelam que os mais pobres do País trocaram os PCs pelos celulares e tablets. A proporção da população com acesso à internet no domicílio passou de 67,9% em 2016 para 74,8% em 2017.

Parceira da Telebras amplia WiFi via satélite no México para áreas urbanas

Dois anos depois de começar a explorar banda larga satelital em áreas remotas do país, como promete fazer no Brasil, a empresa americana Viasat anuncia conexões de 100 Mbps e preços para competir com internet fixa.

Para TCU, políticas desconexas desperdiçam dinheiro com inclusão digital

Ao citar a política de Banda Larga, Tribunal observa que a falta de coordenação gera redundância, falta de isonomia e obstáculos à oferta de serviços.

CPFL: É preciso predisposição para se ter um consenso no uso dos postes

"Não é fácil, mas é preciso existir um alinhamento. Estão todos do mesmo lado", diz o diretor da CPFL, André Luiz Gomes.

Swap de fibras é mandatório para levar banda larga em regiões desassistidas

Compartilhamento de infraestrutura é essencial para reduzir custos e definir modelos de negócios nas cidades onde as teles não investiram, observa o CEO da UmTelecom, Rui Gomes.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G