Home - Convergência Digital

Rio de Janeiro sedia hackaton para área de saúde

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 10/05/2017

A cidade do Rio de Janeiro vai sediar, pela primeira vez, de 26 a 28 de maio, o Hacking Health (HH), movimento global que reúne profissionais das áreas de saúde, tecnologia, design e empreendedorismo em um hackaton para pensar e criar soluções sobre o sistema de saúde. O HH Rio será realizado na Nave do Conhecimento, no Engenho de Dentro, Zona Norte do Rio, e as inscrições, que são gratuitas e estão abertas com vagas limitadas, podem ser feitas no site http://hackinghealth.ca/city/rio-de-janeiro-brazil/.

A iniciativa de trazer o HH Rio é apoiada pelo Laboratório de Engenharia de Software (LES) do Centro Técnico Científico da PUC-Rio, representado por Alex Lucena, CEO da 4H Tecnologia em Saúde (uma spinoff do LES/PUC-Rio), em parceria com o Sebrae e a Prefeitura do Rio de Janeiro. A proposta é reunir, em três dias, especialistas e entusiastas para romper as barreiras na inovação nas áreas de saúde pública, saúde no ambiente de trabalho e saúde no esporte. No HH Rio será possível construir protótipos das ideias elaboradas e apresentá-los para uma banca de especialistas, investidores, parceiros e apoiadores que irão avaliá-los como negócios possíveis de serem desenvolvidos e aplicados na sociedade.

Criado no Canadá em 2012, o Hacking Health está presente em mais de 21 países e já gerou mais de 650 projetos e soluções de melhoria nas condições de saúde nos locais de atuação. O Hacking Health chegou ao Brasil em 2016, com edições já realizadas em Ribeirão Preto (SP), Londrina (PR) e Joinvile (SC). “O HH Rio é mais que uma reunião de empreendedores e especialistas. É uma oportunidade incrível para pessoas se conhecerem, trocarem cartões, pensarem em conjunto e criarem soluções efetivas. Queremos que esta seja uma iniciativa perene e que irá colocar o Rio de Janeiro nos rankings de inovação em saúde do Brasil e do mundo”, conta Lucena.

O evento conta com a parceria do Parque Tecnológico da UFRJ e o Laboratório de Engenharia de Software (LES) do CTC/PUC-Rio, além do apoio das seguintes instituições: MED PUC, Associação Brasileira de Startups de Saúde, Instituto Reação, Instituto D´Or de Ensino e Pesquisa, Escola de Vôlei Bernardinho, Perinatal, Anjos do Brasil, Brain Ventures, ACRio, TI Rio, Herrera &Rosado Advogados, Sesi, Assespro, Rio Soft, CREMERJ, SBIS, Fiocruz, Gávea Angels, CBEXs, Aceleradora Grow+, bunee.io e Consulado Geral do Canadá no Rio.

O primeiro Hacking Health no Brasil ocorreu em 2016 em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, e teve como solução vencedora o aplicativo “Super Mãe”, onde as mães ganham pontos ao realizarem rotinas referente à saúde dos filhos que poderão ser trocados por produtos ou descontos em lojas parceiras. Desta forma, a solução atua como uma ferramenta de prevenção de doenças. Além de São Paulo, os estados do Paraná e Santa Catarina já sediaram maratonas do Hacking Health.

Em Londrina (PR), o vencedor do hackathon foi um projeto que criou um dispositivo capaz de medir a inclinação da coluna e cruzar a informação com outros dados, como tempo e indicadores de dor. O objetivo é auxiliar a medicina do trabalho. Na cidade de Joinville, em Santa Catarina, todos os projetos apresentados tiveram como foco a prevenção ou monitoramento do diabetes. O projeto vencedor foi o “Meu pé”, de acompanhamento do paciente por meio de fotos e questionários personalizados.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

12/04/2019
Uber diz ter 91 milhões de usuários no mundo

04/04/2019
Empresas recorrem ao STF contra "uber dos ônibus"

07/02/2019
Anatel terá app para comparação de preços, mas ele só fica pronto em 2020

30/01/2019
Bradesco viabiliza aluguel de carro pelo aplicativo

24/01/2019
Easy Taxi e Cabify unem operações para brigar com Uber e 99

23/01/2019
Telegram ignora Fake News e aumenta número máximo de pessoas em grupo

22/01/2019
Depois dos táxis, Uber enfrenta,agora, a ira das empresas de ônibus

18/01/2019
Brasileiro usa cerca de 30 aplicativos nos smartphones

16/01/2019
Nova licitação do TaxiGov abre portas para apps e locadoras de veículos

20/12/2018
Aplicativo e drone auxiliam no combate ao desmatamento no Amapá

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

STF anula decisão do TST e reforça valor legal da terceirização

Decisão aconteceu em uma ação de uma atendente contratada pela Contax, prestadora de serviços de call center, para atuar como terceirizada na Telemar Norte Leste.

Mais de 60% dos brasileiros estão infelizes, mas têm medo de mudar de emprego

Estudo da Brands2Life, com o LinkedIn, traz um dado assustador: 80% dos brasileiros não se candidata para a vaga de trabalho que gostaria. Cerca de um terço dos profissionais deixa de se candidatar a uma nova vaga por falta de confiança na sua própria capacidade.

Serviços de TI e de Telecom podem ser 100% terceirizados no Governo Federal

Também foi incluída na lista divulgada pelo governo Federal o serviço de teleatendimento. Decisão está publicada na portaria 443/2018.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site