Home - Convergência Digital

Rio de Janeiro sedia hackaton para área de saúde

Convergência Digital* - 10/05/2017

A cidade do Rio de Janeiro vai sediar, pela primeira vez, de 26 a 28 de maio, o Hacking Health (HH), movimento global que reúne profissionais das áreas de saúde, tecnologia, design e empreendedorismo em um hackaton para pensar e criar soluções sobre o sistema de saúde. O HH Rio será realizado na Nave do Conhecimento, no Engenho de Dentro, Zona Norte do Rio, e as inscrições, que são gratuitas e estão abertas com vagas limitadas, podem ser feitas no site http://hackinghealth.ca/city/rio-de-janeiro-brazil/.

A iniciativa de trazer o HH Rio é apoiada pelo Laboratório de Engenharia de Software (LES) do Centro Técnico Científico da PUC-Rio, representado por Alex Lucena, CEO da 4H Tecnologia em Saúde (uma spinoff do LES/PUC-Rio), em parceria com o Sebrae e a Prefeitura do Rio de Janeiro. A proposta é reunir, em três dias, especialistas e entusiastas para romper as barreiras na inovação nas áreas de saúde pública, saúde no ambiente de trabalho e saúde no esporte. No HH Rio será possível construir protótipos das ideias elaboradas e apresentá-los para uma banca de especialistas, investidores, parceiros e apoiadores que irão avaliá-los como negócios possíveis de serem desenvolvidos e aplicados na sociedade.

Criado no Canadá em 2012, o Hacking Health está presente em mais de 21 países e já gerou mais de 650 projetos e soluções de melhoria nas condições de saúde nos locais de atuação. O Hacking Health chegou ao Brasil em 2016, com edições já realizadas em Ribeirão Preto (SP), Londrina (PR) e Joinvile (SC). “O HH Rio é mais que uma reunião de empreendedores e especialistas. É uma oportunidade incrível para pessoas se conhecerem, trocarem cartões, pensarem em conjunto e criarem soluções efetivas. Queremos que esta seja uma iniciativa perene e que irá colocar o Rio de Janeiro nos rankings de inovação em saúde do Brasil e do mundo”, conta Lucena.

O evento conta com a parceria do Parque Tecnológico da UFRJ e o Laboratório de Engenharia de Software (LES) do CTC/PUC-Rio, além do apoio das seguintes instituições: MED PUC, Associação Brasileira de Startups de Saúde, Instituto Reação, Instituto D´Or de Ensino e Pesquisa, Escola de Vôlei Bernardinho, Perinatal, Anjos do Brasil, Brain Ventures, ACRio, TI Rio, Herrera &Rosado Advogados, Sesi, Assespro, Rio Soft, CREMERJ, SBIS, Fiocruz, Gávea Angels, CBEXs, Aceleradora Grow+, bunee.io e Consulado Geral do Canadá no Rio.

O primeiro Hacking Health no Brasil ocorreu em 2016 em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, e teve como solução vencedora o aplicativo “Super Mãe”, onde as mães ganham pontos ao realizarem rotinas referente à saúde dos filhos que poderão ser trocados por produtos ou descontos em lojas parceiras. Desta forma, a solução atua como uma ferramenta de prevenção de doenças. Além de São Paulo, os estados do Paraná e Santa Catarina já sediaram maratonas do Hacking Health.

Em Londrina (PR), o vencedor do hackathon foi um projeto que criou um dispositivo capaz de medir a inclinação da coluna e cruzar a informação com outros dados, como tempo e indicadores de dor. O objetivo é auxiliar a medicina do trabalho. Na cidade de Joinville, em Santa Catarina, todos os projetos apresentados tiveram como foco a prevenção ou monitoramento do diabetes. O projeto vencedor foi o “Meu pé”, de acompanhamento do paciente por meio de fotos e questionários personalizados.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

16/09/2020
Claro vende acesso ao aplicativo do Hospital Albert Einstein por R$ 49,90 por mês

07/08/2020
TikTok e WeChat decidem enfrentar o governo de Donald Trump

05/08/2020
Infobip e GSMA para oferecer proteção à identidade digital

05/08/2020
Itaú abriu cerca de 1 milhão de contas pelo app no 1º semestre

03/08/2020
"TikTok é vítima inocente da loucura da política e da geopolítica"

31/07/2020
Trump 'ordena' a venda do TikTok. Microsoft aparece como interessada

31/07/2020
Coronavírus SUS vai rastrear contatos de infectados com covid-19

28/07/2020
Covid-19 triplicou uso de serviços públicos digitais

22/07/2020
Samsung inicia fabricação de smartwatches em Manaus

20/07/2020
Serpro vai contratar empresa para análise de 45 aplicativos móveis

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Seis dicas para formar uma equipe de trabalho resiliente

or Craig Mackereth*

Formar uma equipe ou força de trabalho resiliente não é tarefa que se execute da noite para o dia. Tampouco é possível tornar uma equipe verdadeiramente resiliente se isso ainda não estiver integrado ao DNA da empresa.

Destaques
Destaques

Um em cada cinco servidores públicos será substituído por robô no Brasil

A Escola Nacional de Administração Pública estima que, por conta da Transformação Digital, a automação deverá substituir cerca de 100 mil postos de trabalho no Serviço Público Federal nos próximos cinco a 10 anos, sendo que a metade deles terá menos de 50 anos.

Acordo trabalhista em Goiás será pago em Bitcoins

Em conciliação realizada pelo TRT de Goiás, empresa de mineração aceitou o pagamento no valor de R$350 mil convertidos na moeda eletrônica. 

Teletrabalho: Novo PL quer acordo prévio para custos com Internet e PCs

Iniciativa também não permite que o tempo de uso dos aplicativos, como o WhatsApp, fora da jornada normal, seja um regime de prontidão. Projeto tem regras distintas da IN 65 do Governo Bolsonaro para os servidores públicos.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site